Passar para o Conteúdo Principal
Logótipo CM Vagos

Resíduos Urbanos

Sistema de Gestão de Resíduos

O município de Vagos está integrado no Sistema Multimunicipal de Tratamento e Valorização de Resíduos Sólidos Urbanos do Litoral Centro (ERSUC) foi criado pelo Decreto-lei n.º 166/96, de 5 de Setembro. A 14 de março de 1997 foi assinado o contrato de concessão entre o Estado Português e a ERSUC, bem como os contratos de entrega e receção dos resíduos dos Municípios aderentes com a ERSUC, com exploração e gestão do Sistema Multimunicipal.

O Município de Vagos até ao dia 20 de junho de 2016, efetuava a recolha dos resíduos urbanos com os seus próprios meios.

As tarifas dos resíduos só foram aplicadas, no início do ano de 2012, aos habitantes com contrato de abastecimento de água de consumo. 

 

Quantidade de RU produzida no município de Vagos

Recolha Indiferenciada

Os resíduos alocados pelos munícipes nos contentores de recolha indiferenciada têm vindo aumentar ao longo dos anos (Figura 1.). Existe uma exceção ao aumento da quantidade de resíduos depositados em aterro de um ano para o outro, isto de 2004 para 2005, onde houve uma redução considerável de RU. Pressupomos que esta redução se deva a campanhas de educação ambiental desenvolvidas nas escolas do concelho de Vagos no período letivo de 2004/2005,e, eventualmente um folheto informativo enviado pelo correio à população residente no município de Vagos. 

  • RU Recolhidos
    Figura 1. - Quantidade de Resíduos Urbanos Indeferenciados Recolhidos no Município de Vagos

 

Recolha Seletiva

As Figuras 2., 3. e 4. apresentam as quantidades de resíduos que foram objeto de recolha seletiva para posterior tratamento e valorização no período de 2007 a 2013.

  • RU Diferenciados Vidro
    Figura 2. - Quantidade de Vidro que foi para o centro de triagem da ERSUC. (ERSUC, 2017)

O vidro como material de embalagem tem vindo a ser substituído pelo plástico ou materiais compósitos, tais como as Embalagens de Cartão para Alimentos Líquidos (ECAL). Contudo a quantidade de vidro recolhida seletivamente apresenta uma tendência de aumento até ao ano de 2011 (Figura 2.).

A recolha seletiva do papel apresenta uma diminuição de 2008. Talvez as campanhas de reciclagem nas escolas, ou a venda por particulares a empresas do ramo possam ter contribuído para esta contínua diminuição. Pode referir-se por curiosidade que há alguns anos atrás os escuteiros de Vagos tinham uma campanha de angariação de papel, para o venderem e obterem algum dinheiro com esta atividade, nos tempos recentes temos o Agrupamento de Escolas de Vagos com uma campanha semelhante. 

  • RU Diferenciados Papel
    Figura 3. - Quantidade de Papel que foi para o centro de triagem da ERSUC. (Fonte: ERSUC, 2017)

No ano de 2010 houve um ligeiro aumento da deposição tanto do vidro como do papel, nos respetivos contentores seletivos. Ao contrário dos fluxos de resíduos do vidro e do papel, os resíduos de embalagem tiveram um ligeiro aumento da sua quantidade retirada nos contentores no ano de 2009 comparativamente com os anos de 2007, 2008 e 2010. A diminuição de 2010 poderá estar relacionada com uma campanha social da ERSUC que tem o slogan: “Garrafinhas só com tampinha”. A quantia conseguida não poderia ser utilizada para adquirir qualquer tipo de material. Tinha como fim, ajudar famílias com muitas dificuldades financeiras. E esta pequena ajuda permitiu a algumas famílias com membros com limitações físicas adquirir meios adequados ao tipo de deficiência (ex.: motora,…). Talvez esta campanha tenha contribuído de alguma forma para a diminuição dos resíduos de embalagem depositados no contentor amarelo (embalão).

  • RU Diferenciados Embalagens
    Figura 4. - Quantidade de Embalagens que foi para o centro de triagem da ERSUC. (Fonte: ERSUC, 2017)

 

Monos
  • RU Monos
    Figura 5 - Quantidade de Resíduos Urbanos Indeferenciados depositados em aterro – “Monos”

Os “Monos” ou os “Monstros” são materiais volumosos existentes nas habitações, que ao longo dos anos se vão danificando e avariando. De 2006 a 2008 houve uma grande quantidade deste tipo de resíduos depositados no aterro de Aveiro, devido há existência de dois contentores industriais alugados pela Câmara. Aí os munícipes poderiam livremente depositar todos os “monos” que tinham em suas casas. No entanto, porque não eram vigiados, com o passar do tempo estes contentores começaram a ser utilizados indevidamente.

 

Óleo Alimentar Usado
  • Óleo Alimentar Usado
    Figura 6 - Quantidade de óleo alimentar usado 

O óleo de fritar utilizado na confeção dos alimentos numa cozinha pode ser reciclado e transformado principalmente em Biodisel.

 
Óleo Lubrificante Usado do Motor
  • Óleo Lubrificante Usado 

    Figura 7. - Quantidade de Óleo Lubrificante Usado do motor – doméstico

Quando existe condições em casa, para se proceder à mudança do óleo lubrificante do motor de uma viatura, deve-se ter em conta que se está a lidar com um resíduo perigoso. Com o passar dos anos, tem-se verificado um aumento da quantidade deste tipo de resíduos. A figura n.º 7 apresenta as quantidades rececionadas de óleo lubrificante usado a nível doméstico.